Posts marcados com Arena Turbo

Time Fortaleza 2: na sexta-feira que vem, joguemos TF2 em Português!

0

É isso aí, pessoal: na próxima sexta-feira (19 de maio), os jogadores de Team Fortress 2 terão a chance de conhecer a versão do jogo em português. Sim, eu sei, não é de hoje que isto está disponível para todos os jogadores (afinal de contas, lembra daquela matéria que escrevi no começo de abril para o Arena iG?), mas sexta é – como o banner aí de cima já dedurou – o Dia do Team Fortress 2 em Português.

A proposta é promover este trabalho coletivo e conscientizar o jogador brasileiro que, sim, há uma versão no nosso Português – bastando buscar direitinho nas configurações do Steam o idioma correto. Ainda por cima, há uma parceria com o Terra, cujos servidores hospedarão as partidas nas quais integrantes do STS estarão presentes… tanto para entrar em contato com a comunidade quanto para jogar, claro!

Visite a página do evento no Facebook para mais detalhes – e nos vemos nos servidores amanhã. 😉

Jogos da Valve em português têm apoio da comunidade de jogadores

0

Este rapaz aí tem o maior número de intérpretes do mundo

Mesmo levando em consideração a boa vontade das fabricantes, a comunidade parece insatisfeita com certas decisões. Às vezes, dá vontade de entregar o documento completo com o conteúdo escrito de cada game na mão dos jogadores e dizer: “Quer saber? Façam vocês mesmos!”. Brincadeiras à parte, a Valve fez algo que dá margem à capturar o que soa natural à comunidade gamer e usá-los em seu conteúdo: Counter-Strike: Global Offensive e Dota 2 já estão em português para seu lançamento oficial.

É isso aí: tive a oportunidade de entrevistar Bárbara Velho Barreto – representante de tudo relacionado à língua portuguesa na casa de Gordon Freeman e GLaDOS – e Bernardo Lopes, moderador da iniciativa Steam Translation Server no Brasil, para saber mais detalhes dos jogos da Valve traduzidos para o nosso idioma. Leia a matéria completa no Arena iG!

Passando o controle: Qual a sua opinião quanto a passar a tradução dos jogos pelo crivo dos jogadores?

Relembrando a Game Developers Conference 2011

0
"Todos a bordo do bonde do zeitgeist gamer"

"Todos a bordo do bonde do zeitgeist gamer"

Ah, a GDC*… Outro dia eu estava lembrando de como foi bacana cobrir a Game Developers Conference em San Francisco para o Arena Turbo este ano, e como esses eventos são incríveis – tanto pelo tamanho quanto pelo imprevisto. É aquilo: você pode até traçar um mapa de tudo que gostaria de fazer, seguir as sugestões do editor, mas sempre é o caso de esperar o inesperado. Você vê uma palestra, netbook no colo, e quando ela mal acabou você já está correndo para outra sala – talvez mesmo em outro prédio – para a próxima.

É uma tipo único de experiência que eu parei para relembrar após o post anterior… e mesmo porque a correria foi tanta que, sinceramente, nem consegui comentar direito essa cobertura aqui no blog!

(more…)

Super Street Fighter IV: 3D Edition traz o poder do haduko* ao seu bolso

0

Super Street Fighter IV: 3D Edition

Street Fighter IV mexeu com o coração daqueles que moravam no fliperama na época de Street Fighter II. Além de trazer o elenco de lutadores do clássico de 1991, a Capcom mandou bem em manter a lógica de luta 2D adaptando os personagens a um visual 3D incrível. Nada daquelas sandices de Street Fighter EX (por mais que na época tenha me divertido). (…) Super Street Fighter IV trazia melhorias suficientes para que não fosse uma mera expansão de conteúdo por download, além de mais personagens. Agora é a vez do Nintendo 3DS receber esta edição do jogo de luta desta série que dispensa apresentações.

Promessa é dívida: taí o review que estava no limbo! E sim, Super Street Fighter IV: 3D Edition é uma ótima pedida pro 3DS. Leia minha crítica do jogo no Arena Turbo!

* sim, eu sei que é “hadouken”.

Não ajuste seu monitor, está tudo bem por aqui

0

Por Favor, Aguarde

Se o blog andou meio devagar ultimamente, é por duas razões. Uma delas é que passei duas incríveis semanas de férias com minha namorada. A outra é que, bem, não estou mais na equipe do Arena Turbo. Tem mais uma matéria minha por ir ao ar (quando pintar, aviso aqui), mas por enquanto é isso aí.

Não vou me aprofundar nos detalhes, mas você deve ter visto que o iG passou por uma grande reestruturação no mês passado, o que levou à dispensa de parte dos funcionários (sim, eu inclusive). Em outras condições, minha reação original deveria ser essa: (╯‵Д′)╯彡┻━┻

Mas o lance é que os bravos editores estão correndo atrás do reestabelecimento da equipe original e dar continuidade ao trabalho feito de 2010 para cá: isto é, em algum momento posso voltar ao barco, mas isto depende de outros eventos que acontecerão nos bastidores.

Quando eu digo que vão acontecer, independente de eu estar a bordo ou não, é porque boto fé no reestabelecimento do projeto…. e, por que não, da minha volta ao mesmo? “Mas quando isso deve acontecer, Jigu?”, você pergunta. E eu respondo: ¯\_(ツ)_/¯

Claro que isso não quer dizer que vou dormir no ponto. Se tanto, é a deixa perfeita para voltar a escrever mais aqui no blog entre os ocasionais freelas, projetos e tudo mais. O que não dá é pra ficar parado (mesmo porque, sim, existem mais coisas no ar do que os aviões de carreira), então vamos que vamos… e fique de olho neste espaço 🙂

Feliz Dia dos Namorados gamer!

0

Dia dos Namorados

É, galera, os tempos mudaram: felizmente, cada vez mais o estigma do fã de videogame solitário perde a força. A bem da verdade, os videogames sempre tiveram um aspecto social, desde muito antes do termo “jogos sociais” existir. Convenhamos: o estereótipo do jogador de videogame que não consegue entrar em um namoro caiu por terra faz tempo.

Para quem curte videogames, namorar alguém que também compartilhe deste hobby é lindo. Conheça algumas histórias de amor com jogos em uma matéria que preparei para o Arena Turbo.

Bangai-O HD: Missile Fury é um nome bem apropriado

0

Bangai-O HD: Missile Fury (Xbox Live Arcade)

Ao baixar a demonstração jogável de Bangai-O HD: Missile Fury (Xbox Live Arcade), tive a mais plena certeza de que eles sabem, até bem demais, a fórmula do “desafiador”. Além de uma senhora pegadinha, incluírem somente as fases 1, 2 e 38 são praticamente um teste de disposição e caráter. Após quase jogar o controle pela janela e xingar as cinco gerações das famílias dos designers de fase do estúdio, decidi que era hora de encarar o jogo completo que a D3Publisher lançou para o Xbox 360.

EU TE ODEIO, TREASURE. E é por isso que eu te amo. Leia a análise no Arena Turbo.

Splinter Cell 3D: Manual do Jovem Espião

0

Splinter Cell 3D

Outro argumento apresentado na defesa do PSP era a possibilidade de jogar títulos equivalentes aos de console em qualquer lugar – mesmo que, na real, nem sempre é isso que o jogador quer. Acontece que agora as produtoras já estão mais espertas em se tratando de adaptar suas criações ao meio portátil. Para provar esse argumento – e aproveitando o embalo da chegada do 3DS – a Ubisoft lançou recentemente Splinter Cell 3D.

É, até que essa versão light de Splinter Cell: Chaos Theory para o 3DS ficou bem honesta – mas não muito além disso, né… Leia minha crítica para o Arena Turbo.

Dwarfs!?: Eu levo a vida a cavar, esburacar paredes e beber cerveja

0

Dwarfs!? (PC)

A Tripwire Interactive, conhecida por criar o jogo de tiro em primeira pessoa Killing Floor, publicou outro que segue esta linha. Produzido pelo estúdio Power of Two, o simpático Dwarfs!? (PC via Steam) entra naquela lista de jogos que podem render bastante graças à natureza aleatória de suas fases

Taí, admito que não esperava muito deste jogo – e não é que o tal Dwarfs!? é legal? Leia minha crítica para o Arena Turbo e veja porque estes anões cervejeiros são tão bacanas.

Michael Jackson: The Experience canta, dança e sapateia no Kinect (ou “agora vai”)

0

Michael Jackson: The Experience (Kinect)

Voltemos a novembro de 2010, quando a Ubisoft lançou Michael Jackson: The Experience para o Wii. O que deveria ser uma grande homenagem ao legado do Rei do Pop se revelou uma produção que, embora reverente à sua obra, pecou pela preguiça no visual e mecânica de jogo. “E as versões para Kinect e PlayStation Move?”, você pergunta. “Volte no ano que vem”, eu respondo. Finalmente chegou a hora de vermos como o jogo ficou console da Microsoft.

E não deu outra: além de uma apresentação audiovisual muito mais cuidadosa – sério, Ubi, você desleixou na versão Wii – a versão Kinect de Michael Jackson: The Experience é bem melhor. Obviamente, muito mais difícil. Leia minha crítica para o Arena Turbo!

Ir para o topo