[post originalmente publicado no Kenner Blog]

Pedro e o Chip

A esta altura do campeonato, muita gente deve saber o que é um meme de Internet – outras podem até não saber pelo nome, mas certamente já foram expostas a algum destes. Pode ser a gaga de Ilhéus, a Ruth Lemos e seu sanduíche com eco, ou até mesmo o infame trote do Pareto, que vem de muito antes da net. O termo “meme” é emprestado do livro O Gene Egoísta, de Richard Dawkins, e significa um pedaço de informação passado de pessoa para pessoa – como os genes na genética. Na Internet, a coisa é meio assim mesmo: você recebeu de um amigo, que por sua vez recebeu de outro, e por aí vai.

Um dos memes brasileiros mais recentes foi o caso do Pedro e o chip, que rolou no YouTube. O morador de um prédio usou uma câmera para filmar a tentativa desesperada desta moça em reaver um chip de celular – e o que estaria nele? Números de telefone? Fotos comprometedoras?… não contente em se esgoelar madrugada adentro, ela ainda foi zoada pelo cinegrafista amador, perdendo totalmente a esportiva e ganhando fama na Internet, mesmo sendo uma voz (alta pra caramba, inclusive) sem rosto.

E como toda boa piada que foge do controle, várias “homenagens” a este caso foram feitas na Internet, indo de montagens de funk com a gravação das frases da pobre coitada… e é claro que, em algum momento, alguém faria um jogo em Flash baseado nisso. Será que desta vez ela consegue o tão cobiçado chip, ou vai continuar gritando até perder a voz?

por Pedro Giglio
– informalmente, “schadenfreude” = “pimenta no dos outros é refresco”