[post originalmente publicado no Kenner Blog]

Rose & Camellia

Há pouco tempo, acabou mais uma novela das oito – que todo mundo sabe que é às nove da noite, mas não quer admitir… a começar pela própria emissora. E quase toda reta final destes folhetins tem um ritual: reunir aquela galera que já acompanhava desde a estreia, e às vezes o amigo ou parente curioso que decide entender mais de duzentos episódios em pouco menos de uma hora, e aquele que chega zoando perguntando quem é cada um dos personagens e por que estão agindo daquela forma, mesmo que só para azucrinar a experiência dos outros. Seja no final ou no meio da novela, existem aqueles momentos que todo mundo comenta no dia seguinte (e quem não acompanha fica boiando no assunto), como algum personagem que morreu e voltou, o irmão gêmeo que ninguém conhecia, uma revelação mais bombástica, ou até mesmo uma briga tensa pra caramba.

Para quem curte mais este último exemplo, fica a dica do jogo Rose & Camellia. O negócio consegue reunir um dramalhão digno da teledramaturgia mexicana – mas sem aquela dublagem safada, né? – sobre uma jovem noiva cujo noivo rico morre antes do casamento, e família do finado não quer dar os direitos à pobre coitada. Aí a coisa se resolve como? No tapa, claro! É só clicar com o botão do mouse em Attack e movimentar o mouse na direção da seta que aparece na tela. Na hora da cunhada revidar, também rola de apertar o botão Evade para desviar, seguindo o mesmo esquema… e ainda rola de devolver o tabefe com o botão Counter, num contra-ataque que faria suas colegas do trabalho comentarem na hora do cafezinho!

Mas não se deixe enganar, hein? A família do noivo cadáver é especialista em armar aquele barraco… melhor separar uma compressa com gelo, por via das dúvidas!

por Pedro Giglio
– que só usa a violência em último caso